Até que uma bobagem nos separe

 

Das amizades que perdi pela vida, quase todas foram por motivos bobos. As que realmente me deram razões para ruptura, viraram discussões que fortaleceram a amizade. Por isso tenho medo das picuinhas, elas não exigem reparação instantânea. São guardadas, somadas e acrescidas à lista de ressentimentos. Fica a palavra não dita, o silêncio insuportável, o distanciamento inevitável.

Ainda pior que o distanciamento, é a busca incansável pelo culpado. Desde pequenos aprendemos a nos defender com a culpa é dele e na maturidade não é diferente. Apontamos, listamos e argumentamos em nosso favor, em uma eterna disputa sem vencedores.

Não acredito em quase nada do que dizem sobre envelhecimento, tenho impressão que enaltecem esse momento da vida. Mas concordo que com tempo aprendemos a dar valor ao que realmente importa. Fosse hoje talvez ainda guardasse muitos dos amigos que perdi. Não buscaria um culpado, mas uma solução.

Ou, quem sabe, nem precisasse de solução. Somente um pouco de sabedoria. (RM)

 

3 Responses to “Até que uma bobagem nos separe”

  1. Aprendi que em Tupi, não tem como falar “foi ele”, não existe um meio na linguagem pra que isso seja dito. Existe o “eu” e o “nós”. Acho que já ajudaria bastante em tanta coisa… EU quero dizer uma coisa que não consigo agora, talvez por não existir a palavra certa. Mas sei exatamente como é isso de bobagens acabarem com uma coisa que poderia ser linda. Hoje em dia sou maleável e faço o possível pra evitar esses pequenos confrontos…

     
  2. Meninas, Adorei
    Acabei de brigar com um casal exatamente por causa de motivos bobos ….. vou copiar isso e mandar para este casal !
    bjs Marina

     
    • marina
    • Responder
    • Tomara que dê certo!! Beijos querida

       
      • RMoreira
      • Responder

Leave a Comment

© 2012 Reparei. Se alguma das imagens que usamos para ilustrar as postagens é de sua autoria e você prefere que ela seja retirada, envie uma mensagem para reparei@hotmail.com